A história dos óculos – Onde, quando e como surgiram os óculos?

A palavra óculos é derivada do termo ocularium, da Antiguidade Clássica. Esse termo era utilizado para designar os orifícios feitos nas armaduras das cabeças dos soldados e que os permitia enxergar. No entanto, a primeira referência histórica sobre a existência dos óculos está assinalada nos textos do filósofo chinês Confúcio, 500 anos antes de Cristo.

Na Grécia antiga, filósofos gregos, liderados por Aristóteles, defendiam o princípio de que a percepção da imagem não tinha relação entre olho e cérebro. Acreditavam que a emoção residia no coração e, portanto, a visão tinha importância menor no aperfeiçoamento do ser humano. Tirésias tentou provar essa teoria, ao afirmar em público que só se tornara profeta após a Deusa Hera o cegar. “A verdade não deve ser vista, mas sentida”, dizia ele. Enquanto isso, líderes de várias escolas filosóficas, portadores de defeitos visuais, solucionavam seus problemas com o auxílio de escribas que transcreviam seus textos.

Em Roma, no entanto, havia outro conceito. No século II depois de Cristo, o imperador romano Nero lançava moda usando uma lâmina de esmeralda, durante as apresentações públicas.

A comprovação do uso dos óculos só surgiu realmente no século XIII, durante a primeira viagem do navegador italiano Marco Polo ao Oriente. As informações do explorador demonstraram que, apesar dos chineses não conhecerem os rudimentos da ótica, os óculos eram considerados acessórios pela nobreza imperal ou amuletos contra a presença de maus espíritos. Pedras semi-preciosas, devido à transparência, foram os primeiros instrumentos auxiliares na correção visual para leitura. Cortadas em camadas finas, inicialmente foram colocadas sobre os textos a fim de aumentar o tamanho das letras. Posteriormente, passaram a ser usadas sobre os olhos, criando-se então a primeira lente corretiva.

A procura por lentes; porém, só ocorreu quando o berílio e o cristal de quartzo passaram a ser requisitados, pois eram bem transparentes e de fácil manuseio. As primeiras lentes do Ocidente surgiram em Veneza com os mestres vidreiros, até hoje conhecidos como os melhores do mundo. Quem nunca ouviu falar dos mestres vidreiros de Murano?

Historiadores acreditam que a fabricação de lentes começou antes do descobrimento do primeiro par de óculos no século XIII em Nüremberg, Alemanha. Os famosos artesãos de vidro faziam lentes manualmente para serem usadas como lupa sobre os textos. Os óculos de Nüremberg tinham movimento de um compasso. Eram montados em ferro ou em madeira e seus aros ajustados sobre o nariz. Acredita-se que esses óculos foram criados sobre um estudo realizado por Roger Bacon, o maior nome da ciência experimental medieval. Segundo os italianos, os óculos foram inventados por Salvino D’Armante. Acredita-se que ele era um artesão e não um monge. As pinturas na igreja de São Nicolau, em Treviso, mostram padres usando monóculos e o mesmo modelo de óculos em forma de compasso. As pinturas foram feitas duzentos anos antes da descoberta dos óculos de Nüremberg.

Na sua forma corretiva, os óculos só aparecem no século XVII, após pesquisa do físico Christian Huygens que estudou o polimento das lentes, passo mais importante depois do descobrimento dos óculos. Acredita-se que, após uma crise de irritação causado por ter de usar dois óculos, para distâncias diferentes, Franklin partiu as quatro lentes ao meio e colou-as surgindo deste ato intempestivo as lentes bifocais.

NEWSLETTER
Receba informes, notícias e promoções em seu e-mail.
DEPOIMENTOS
Copyright© 2017 - Tecnótica - Todos direitos reservados - Webmail
Hospedado por DigitalHost